9 de fev de 2010

Transplante de células-tronco da medula dá vida nova a pacientes com esclerose múltipla

Após cirurgia, doentes crônicos voltaram a fazer tarefas cotidianas, aponta pesquisa da USP


Pacientes com esclerose múltipla que se submeteram ao transplante de células-tronco hematopoiéticas (produzidas pela medula óssea) puderam voltar a sonhar com um futuro promissor.
Essa é a constatação do psicólogo Fábio Augusto Bronzi Guimarães, que avaliou a qualidade de vida desses pacientes antes e depois do tratamento, em sua dissertação de mestrado pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto. As informações foram divulgadas na agência de notícias da USP (Universidade de São Paulo). 


A esclerose múltipla é uma doença autoimune, em que o sistema imunológico passa a ter uma hiperatividade, atacando o sistema nervoso central, causando causa inúmeros problemas em quase todas as funções motoras. 


- É uma doença crônica e debilitante, afirma Guimarães. 


O tratamento convencional, feito com imunossupressores e imunomoduladores, em casos mais graves não costuma surtir os efeitos esperados e a doença evolui. E isso automaticamente influencia a qualidade de vida dos doentes. 


- A qualidade de vida é um bom indicador do impacto que a esclerose múltipla causa na vida da pessoa, assim como o impacto do tratamento para o paciente, ressalta o psicólogo. 
Já o tratamento com células-tronco é agressivo. Primeiro, os médicos retiram as células-tronco da medula óssea e aplicam uma carga intensa de quimioterápicos, para destruir a medula que não funciona adequadamente. Por último, faz-se o transplante das células-tronco saudáveis, para que a nova medula funcione normalmente. 

Entrevistas
Na pesquisa, Guimarães utilizou uma amostra de 34 pacientes, todos internados no HCFMRP, aplicando um método híbrido de pesquisa, sendo uma parte quantitativa e outra qualitativa. As informações foram coletadas por meio de perguntas feitas diretamente aos pacientes, e não por meio de prontuários e entrevistas com médicos responsáveis, tendo, portanto, um caráter mais subjetivo. 


Eles foram entrevistados em três momentos: no pré-transplante, no pós-transplante imediato (30 dias após) e no pós-transplante tardio (um ano após). 


As entrevistas revelaram que, após o transplante, uma maioria de pacientes reconheceu a evolução da saúde com o tratamento, conseguindo realizar pequenas tarefas do cotidiano. Uma minoria, porém, se demonstrou insatisfeita, pois tinham uma grande expectativa de melhora, mesmo com algumas evoluções e cessação de sintomas.
Nas entrevistas tardias (após um ano), Guimarães constatou que uma maioria de pacientes passou a sonhar novamente com um futuro mais promissor e retomaram antigos projetos.
- As relações com familiares e amigos ficaram mais fáceis após o transplante, muitas amizades afastadas foram retomadas, conta.
Fonte: http://noticias.r7.com/saude/noticias/transplante-de-celulas-tronco-da-medulada-vida-nova-a-pacientes-com-esclerose-multipla-20100208.html

13 comentários:

Robson Schmidt disse...

Olá,
meu pai tem esclerose mutipla e eu gostaria de saber como que posso obter mais informações para que ele possa participar dessas pesquisas. Obrigado

Robson Schmidt disse...

Olá,

Meu pai tem esclerose mutipla e eu gostaria de saber como que posso obter mais informações para que ele possa participar desses estudos.
email: robsonschmidt@gmail.com
Obrigado

Anônimo disse...

Gostaria de saber como fazer parte do programa de transplante de celula tronco. sou portador de esclerose multipla, a sei que ainda não existem em todos os estados.

Anônimo disse...

OLA SOU A ELZA TENHO 54 ANOS E TENHO ESCLEROSE MULTIPLA MINHA QUALIDADE DE VIDA CAIU MUITO POIS TENHO UM LADO LESIONADO O QUE DIFULCULTA FAZER MINHAS TAREFAS OQUE ME DEIXA MUITO DEPRIMIDA, GOSTARIA DE FAZER O TRATAMENTO COM CELULAS TRONCO POREM NAO SEI POR ONDE COMECAR, ONDE FAZER. GOSTARIA DE OBTER INFORMACOES A RESPEITO O MAIS URGENTE POSSIVEL. MEU TELEFONE 61 84283444, EMAIL marlucealvesmartins@yahoo.com.br.

Ariane rodrigues disse...

eu gostaria de saber c minha mae q tem diabetes pederia parcipar desta pesquisa? obrigado

Ariane rodrigues disse...

eu gostaria de saber c minha mae q tem diabetes pederia parcipar desta pesquisa? obrigado

Anônimo disse...

Gostaria de saber como participar dessas pesquisas. Obrigada.
liubarre@gmail.com

patmarpat disse...

Tenho esclerose múltipla progressiva. Gostaria de saber como participar dessas pesquisas com células tronco.

Suzana disse...

olá eu tenho um amigo portador de esclerose multipla há mais ou menos 10 anos, gostaria de sber como ele pode fazer parte dos estudos de transplante de celula tronco, ele está muito interssado

Lifelix disse...

Ola, Meu nome e Lilian tenho esclerose multipla a 11 anos com uma piora muito grande nos ultimos 5 anos. A doença progrediu, e o ultimo tratamento que estava fazendo com o T sbre(natalizumabe) teve que ser suspenso por que tive um forte surto, eu nao vejo mais recursos a nao ser o transplante, gostaria de obter mais informaçoes. obrigada lifelixvianna@uol.com.br

carlos44 disse...

carlos44kz1@hotmail.com minha esposa e portadora de esclerose multipla gostaria saber como fazer parte do programa de trasplante de celulas tronco o mais obrigado pela atençaõ

carlos44 disse...

carlos44kz1@hotmail.com minha esposa e portadora de esclerose multipla gostaria saber como fazer parte do programa de trasplante de celulas tronco o mais obrigado pela atençaõ

Lifelix disse...

Ola, eu tive aqui querendo saber mais sobre a pequisa e nao obtive resposta, mas estou voltando 8 meses depois para dizer que apesar de não ter feito o transplante estou sem surto desde então. Comecei a fazer um tratamento com vitamina d, e nada mais. E hj me encontro bem melhor, so fiquei com as sequelas,agora mesmo que tenho mais interesse nesse tratamento querendo ir ate para Israel onde tenho ouvido falar que os estudos com transplantes de células troncos. meu email para contato lifelixvianna@uol.com.br

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger