3 de abr de 2009

Botox para incontinência urinária

Matéria Publicada no Portal Unimed/JP




Em uma viagem de carro de Campina a João Pessoa, meu marido Marcus até já sabe: a toda hora tenho de parar para ir ao banheiro. Ele fica furioso, mas sei que não é culpa minha”. O depoimento é de Eliana, 50 anos.


Muitos poderiam achar isso normal, alguns pensam que essa vontade de urinar a todo o instante não passa de “mania” ou ainda que é uma questão “psicológica”. Se a coisa acontecer esporadicamente e estiver ligada a uma maior ingestão de líquidos naquele período, por exemplo, não há motivos para preocupações. Todavia, se o fato se repetir constantemente, a ponto de incomodar e prejudicar a vida da pessoa, aí temos um problema. E o nome dele é Síndrome da Bexiga Hiperativa, uma alteração funcional da bexiga, que sofre contrações involuntárias, ou seja, “fora de hora”, fazendo com que se sinta uma vontade urgente e repentina de urinar a todo o momento, muitas vezes ocorrendo até perdas urinárias.


Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, cerca de quatro milhões de pessoas no Brasil sofrem com esta Síndrome. O problema é mais comum acima dos 45 anos, mas homens e mulheres de todas as idades - inclusive crianças - estão sujeitos a ele. O sexo feminino, porém, é o mais atingido. Sua origem pode estar relacionada a doenças neurológicas ou simplesmente ser de causa desconhecida.


Nos últimos anos, têm surgido, na Medicina, diversos empregos para a toxina botulinica, mais conhecida como Botox. Na Urologia, especialidade que trata do aparelho genital masculino e do aparelho urinário, tanto de homens quanto de MULHERES, não tem sido diferente, e o seu uso vem sendo propagado há algum tempo em pacientes com incontinência urinária.


As medidas convencionais mais utilizadas até hoje são – (1) Controle da Dieta, (2) Manter a regularidade do funcionamento do intestino, (3) Manter um peso corporal adequado, (4) Abandonar o cigarro, (5) Evitar líquidos que sejam irritantes para a bexiga, (6) Uso de Medicações que tentam controlar a bexiga – mas que infelizmente causam muitos efeitos colaterais e fazem com que a maioria dos pacientes abandonem o tratamento.


Estudos sérios recentes mostraram que a toxina botulinica injetada dentro da bexiga, sob anestesia local, consegue fazer com que esses pacientes tenham suas bexigas “acalmadas” e, por conseqüência, os sintomas de perda de urina e de urinar diversas vezes ao dia desapareçam por completo. O inconveniente maior ainda é o custo da medicação e do procedimento. Outro ponto crucial é que a toxina tem um limite quanto ao tempo de ação e necessita ser reaplicada dentro de 6 meses a 1 ano. Todavia, de maneira geral, temos mais uma opção muito eficaz e segura para tratar estes pacientes.


Leandro Tavares, urologista, CRM 4633 
Fonte:

http://www.unimedjp.com.br/canais/saudeebemestar/informacoes/ver-consultorio-medico.php?id=327

Um comentário:

Anônimo disse...

Dr. Leandro, minha dúvida é se esta aplicacao de botox para o tratamento de incontinência urinária é um procedimento experimental?

Lídia Cardoso

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger